Viagem pelo Périgord

A França é tão linda que é difícil escolher um lugar perfeito para viajar.
No Inverno, ela oferece as montanhas dos alpes para esquiar; no Verão, a Côte d’Azur, o mediterrâneo, o atlântico; na Primavera, nós nos encantamos com os campos de lavandas na Provence, no Outono as folhas dos vinhedos formam a costa de ouro da Borgonha de tirar o fôlego… E do Périgord, você já ouviu falar?

Uma Viagem pelo Périgord é se preparar para uma infinidade de aldeias medievais, castelos, uma viagem no tempo da pré-história e uma gastronomia típica da região.

Dordona ou Périgord ou Périgueux?

Primeiro, vamos começar a esclarecer os nomes:

Na França, a classificação administrativa na ordem é assim: Cidade, Departamento e Região.
Périgueux é uma cidade e a capital do Périgord branco.
O departamento é a Dordonha.
A região é a Aquitânia.
Périgord é o antigo nome da região que é dividido em 4 zonas:

  1. Purple Périgord (roxo): a cor roxa refere-se ao vinho tinto, pois neste território se encontra cidade de Bergerac e seus vinhedos.
  2. Blanc Périgord (branco): Onde fica a cidade do Périgueux, o nome “branco” é graças ao seu solo calcário.
  3. Vert Périgord (verde): A cor vem das florestas do Parque Natural Regional do Périgord-Limousin.
  4. Noir Périgord (preto). Esta é a parte mais turística e a capital da pré-história. O nome vem dos troncos dos muitos carvalhos da região que escurecem no inverno.

O roteiro que fizemos foi no Périgord noir.

@ParciParla

A viagem pelo Périgord: Um roteiro de 3 dias no Périgord para se divertir em família

Primeiramente, para viajar no Périgord, é preciso escolher uma cidade central para dormir e alugar um carro para poder conhecer 3 a 4 lugares por dia.

Escolhemos a cidade de Rouffignac-Saint-Cernin-de-Reilhac. Nós nos hospedamos no hotel Le Manoir des Cèdres.

Viagem pelo Périgord – Primeiro dia:

Château de Biron

Nós começamos com uma vista de tirar o fôlego do Castelo Biron que fica no alto da colina.
Admiramos a arquitetura do século 12 do castelo que pertenceu a família de Gontaut-Biron, assim que a vista deslumbrante da cidade.
A dica é aproveitar as animações oferecidas pelo castelo durante o verão como peça de teatro ao ar livre, feira gastronômica e caça ao tesouro no castelo.

@ParciParla
@ParciParla

Cloître de Cadouin – Claustro de Cadouin

Descendo da colina, encontramos um vilarejo chamado Cadouin. Aproveitamos para visitar o claustro de Caudoin, monastério cisterciense fundado em 1115.
Contemplamos um grande momento de paz assim que a arquitetura. Este foi um bom momento para viajar no tempo da arquitetura romana a da renascentista.

@ParciParla

Les Eyzies de Tayac-Sireuil – Museu da pré-história

Terminamos o dia na charmosa cidade Les Eyzies de Tayac-Sireuil.
Esta aldeia é uma porta de entrada para o mundo da Pré-história. Não é por menos, o vale do rio Vézère é coberto de florestas e povoado por animais selvagens, os homens da pré-história encontraram um verdadeiro paraíso aqui.

A diversão foi no museu da pré-história com sua grande exposição de coleção de sílex, animais e objetos pré-históricos.

Para se aventurar, vale explorar o vale de canoa e descer o rio de Vézère.

@ParciParla

Viagem pelo Périgord – Segundo dia:

Château des Milandes

Localizado na cidade de Castelnaud-la-Chapelle, o castelo des Milandes foi construído em 1489 e foi a residência principal da família Caumont. Esta família já tinha o castelo de Castelnaud, que servia mais como defesa, e no meio da floresta, a família construiu um castelo de princesa, chamado Milandes.

@ParciParla

Entretanto, a história deste castelo é ligada a famosa dançarina do século XX, Joséphine Baker. Ela se apaixonou pelo castelo. Graças a ela, a região da Dordonha começou a ser conhecida. Joséphine Baker se casou na capela ao lado do castelo. E o castelo des Milandes foi o palco do um lindo projeto de vida da dançarina: Tribo Arco-Íris, o nome que ela dará a sua família composta por doze filhos adotivos de nove nacionalidades diferentes.

@ParciParla

Eu aconselho ler mais sobre a história da Joséphine Baker. Eu saí desta visita emocionada. Uma mulher negra, de pai desconhecido, deixou a sua terra natal, os Estados Unidos, aos 13 anos de idade para fugir dos maus tratos e do preconceito. O destino foi a cidade de Paris, onde ela percebeu que ninguém se importava com a cor da pele e lá ela fez um grande sucesso como dançarina, atriz e cantora. Ela foi longe com seu ideal de liberdade a ponto de se tornar uma espiã contra o nazismo. Ela foi homenageada inúmeras vezes pelo governo francês.

Em 1964, na sequência de problemas financeiros, foi anunciado o leilão do castelo. E o castelo des Milandes foi vendido por um décimo do seu valor. Joséphine Baker vai viver alguns dias nas escadas de fora do castelo. Mas o mundo das voltas, desde 2001, o castelo homenageia Joséphine Baker. A visita do castelo é sobre a vida dela.

O castelo também oferece muitas animações para crianças. Todos os dias, de abril a meados de novembro, tem um espetáculo de pássaro no maravilhoso jardim.

Nós almoçamos também no castelo, nada mal como experiência. Ficamos mais tempo do que previsto no castelo porque gostamos muito…

Imperdível: La Roque-Gageac

Depois da visita do castelo des Milandes, fomos para a encantadora cidade chamada La Roque-Gageac. Aqui é o cartão postal do Périgord Noir. A cidade se situa num penhasco excepcional as margens do rio Dordonha. E a animação é para todos os lados, no rio, com inúmeros canoas e barcos e na terra, um passeio nas falésias.

@ParciParla

Subindo o penhasco, se preparem pela paisagem num passeio magnifico pelas ruelas da cidade. O Ideal é chegar aqui no final do dia quando as pedras refletem a luz do pôr do sol.
Na cidade, nós fizemos também um passeio maravilhoso de uma hora de barco com Les Gabares Norbert.

@ParciParla

Viagem pelo Périgord – Terceiro dia:

Mais um dia mágico: Sarlat-La-Canéda

A cidade de Sarlat-La-Canéda é a capital do Périgord noir. Entrando no centro histórico medieval, fomos direto ao Office de Tourisme e compramos um guia para criança de 1 euro, para conhecer a cidade com Perguntas & Respostas.

@ParciParla

Sabe aquele lugar onde você quer tirar foto de todos os ângulos de tão lindo? Assim é esta cidade de Sarlat-La-Canéda.
Construída no século IX em torno de uma abadia, Sarlat-La-Canéda é uma parada obrigatória dos peregrinos a caminho de Santiago de Compostela. A cidade também é conhecida por ter sido o cenário de muitos filmes como Joana d’Arc de Luc Besson em 2006.

@ParciParla

Dica: reserve a quarta-feira ou o sábado para ir ao mercado central da cidade, o lugar é ideal para saborear especialidades de qualidade e produtores locais.

Village troglodytique de La Madeleine

Nosso segundo destino, foi a aldeia troglodita de Madeleine, perto de Tursac. A diversão aqui é garantida para os pequenos! As crianças vão poder entrar nos abrigos pré-históricos!

@ParciParla

Em seguida, nós planejamos ir à famosa gruta de Lascaux IV, a “Capela Sistina da Pré-história” que é uma reconstrução bem-feita da caverna original.
“Casa de ferreiro, espeto de pau”? Eu não acredito que não conseguimos entrar lá! Pois é, não fiz a reserva. Chegamos lá, não tinha mais tickets. Assim, reserve antes e não perca este passeio.

Para terminar a descoberta desta região encantadora, não podíamos deixar de visitar uma gruta e escolhemos uma pequena chamada Grotte du Grand Roc.

Não é cansativo para visitar esta gruta. Todos adoraram a visita. A natureza até criou a sua versão da Vitória de Samotrácia.

@ParciParla

Conclusão da viagem: A região do Périgord é magica, encantadora, extraordinária, mas visitar em três dias não é possível. É preciso no mínimo uma semana. Com certeza, voltaremos lá e escreverei a segunda parte deste artigo :).

@ParciParla

À bientôt :)!

Aureliana Paula Garreau

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.