Sobre Paris

“As ruas encantadoras de Paris, o romance que ronda suas esquinas,
as páginas de história que ficaram gravadas em cada paisagem
deixam na gente uma sensação espiritual.”
Juscelino Kubitschek

Símbolo da cultura francesa, Paris é a cidade mais visitada do mundo e cenário principal da história da França. Por que Paris nos atrai?
Começando pela arquitetura. Desde a Idade Média, os reis franceses deixaram as suas marcas na cidade. A atual organização da cidade deve-se muito ao trabalho do Barão Haussmann, que mudou radicalmente a cidade durante o Segundo Império. A construção de grandes avenidas, conhecidas como Boulevard, o alinhamento da altura dos edifícios ao longo das avenidas arborizadas, permitindo que as ruas recebam os raios solares, a homogeneização dos prédios como a sacada longa no quinto andar, enfim até hoje essas regras de urbanismo são aplicadas, especialmente com relação ao limite da altura e à densidade dos edifícios.


A herança do século XIX é também abundante em Paris durante a “Belle Époque”. A expansão econômica é de grande importância. Muitas empresas, cinemas, lojas de departamento surgiram nesta época. A Torre Eiffel foi construída por Gustave Eiffel em 1889 para o centenário da Revolução Francesa. Os grandes monumentos como o Grand Palais, o Petit Palais e a Ponte Alexandre III foram inaugurados para a ocasião da Exposição Universal de 1900 e contribuíram para a reputação da cidade luz.

Além da arquitetura iluminada, Paris nos atrai pela sua atmosfera intelectual.

A partir do século XII, Paris é um dos grandes centros intelectuais da Europa, particularmente na teologia e na filosofia. A criação da Sorbonne foi em 1257. A partir do século XVIII, escolas especializadas são criadas para determinadas profissões, como a École Polytechnique e a École Normale Supérieure.

A partir da Revolução Francesa, o mundo literário é maior e mais complexo. Paris se torna o coração da vida intelectual francesa. Na década de 1920, muitos escritores estrangeiros vêm descobrir Paris: Ernest Hemingway, Henry Miller, Gertrude Stein, etc. e outros vêm buscar esperança: D. H. Lawrence, James Joyce, etc. Após a Segunda Guerra Mundial, o bairro de Saint-Germain-des-Prés se torna famoso com a presença de Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Boris Vian e Jacques Préver.

Como aproveitar Paris?

De modo geral, o melhor de Paris, é sem dúvida em torno do Rio Sena. Das pontes de Sully e de Bir-Hakeim é uma das mais belas paisagens. Os monumentos mais famosos de Paris se encontram no centro e nas margens do Sena. Na Ilha de la Cité, encontramos emblemáticos monumentos antigos. A catedral de Notre-Dame, construída a partir do século XII, restaurada no século XIX é simbolicamente o ponto zero de Paris.

O Conciergerie, outro grande monumento imperdível, foi a sede do poder real até o reinado de Carlos V, na segunda metade do século XIV. Parte do edifício foi convertida em prisão e o local de detenção de personalidades famosas do antigo Regime antes de sua execução durante a Revolução Francesa. Aproveite e visite a Sainte-Chapelle, construída perto da Conciergerie, é considerada uma obra-prima da arquitetura gótica. E o Pont Neuf, “ a ponte nova”, que data do final do século XVI, é a ponte mais antiga de Paris.

Conciergerie

A elegância da cidade é também graças à moda de alta costura: Givenchy, Dior, Jean-Louis Scherrer, Emanuel Ungaro, Chanel, Yves Saint Laurent, André Courrèges e Pierre Cardin, presentes no 8º distrito, avenida Montaigne e na rua du Faubourg Saint-Honoré. A cidade ocupa um lugar de destaque também em jóias, concentradas na praça Vendôme e na rua de la Paix.

Enfim Paris… Um dos mais importante centro cultural, da moda, do luxo, da gastronomia, do urbanismo, do romantismo e um dos mais lindos cenário cinematográfico do mundo…

Qual é a sua Paris?

 

Se você pretende vir aqui, veja também as super dicas da Rafaela: dicas-de-paris-informacoes-uteis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *